Qual a melhor região do Brasil para investir em imóveis?

a melhor região do Brasil para investir em imóveis

O mundo pós-pandemia voltará a ser o mesmo de antes? Como novos valores e circunstâncias vão afetar o mercado imobiliário nos próximos anos?

Vamos manter a tendência surgida recentemente de buscar imóveis maiores, com maior privacidade e menor necessidade de morar perto do local de trabalho? Qual a melhor região do Brasil para investir em imóveis dentro do novo normal?

O que se percebe atualmente é que cidades com bom índice de desenvolvimento humano, com alta qualidade de vida e amplo leque em relação à tipologia dos imóveis, são celeiros de oportunidades pelo país afora.

É uma mudança sensível em relação ao período pré-pandemia, quando imóveis compactos, práticos e localizados em grandes centros urbanos movimentavam o mercado imobiliário. 

Vamos a seguir listar todas as regiões do Brasil, ressaltando as principais cidades para se investir em imóveis, de acordo com informações, rankings e relatórios elaborados por alguns dos maiores e mais conhecidos meios de comunicação do país. 

Sul mantém status entre as melhores regiões do Brasil para investir

Cidades como Florianópolis (SC), Caxias do Sul (RS), Londrina (PR), Gramado (RS), Maringá (PR), Torres (RS), Blumenau (SC), Cascavel (PR), Canoas (RS), Itajaí (SC), São José dos Pinhais (PR), Joinville (SC) e Balneário Camboriú (SC) são presença constante em rankings dos melhores lugares para investir em imóveis.

Índice de Desenvolvimento Humano (IDH)

A qualidade de vida na Região Sul é um dos diferenciais na procura desta região para alocar investimentos em imóveis. 

Trata-se da região do país onde, juntamente com o Sudeste, é possível encontrar cidades de médio a grande porte com excelente infraestrutura urbana, incluindo cobertura de 100% da rede de esgoto.

Com boa oferta de serviços de segurança, saúde e educação, a região é conhecida por aliar dinamismo econômico e preservação ambiental, impactando diretamente na qualidade de vida.

Mercado consolidado: tradição nos valores e arrojo nos projetos

Algumas das maiores empresas do país estão presentes no mercado imobiliário da Região Sul. São empresas sólidas, com décadas de tradição, e que constroem para vender em vez de vender para construir.

Isso também aumenta a diversidade na tipologia dos imóveis. Na Região Sul, grande parte dos pólos imobiliários apresentam boas condições de negócio, tanto para imóveis de baixo e médio padrão quanto para imóveis de alto padrão e mesmo de luxo.

Localização e belezas naturais

Menor região do país em extensão territorial, o Sul reúne algumas das mais belas paisagens naturais, sejam elas no litoral, na serra, nos vales ou nos campos.  

A distância entre as cidades e mesmo entre os Estados, que é relativamente curta, permite investimentos em diversas cidades da região ao mesmo tempo. 

Itajaí e Balneário em Santa Catarina, Londrina e Maringá no Paraná, Caxias e Gramado no Rio Grande do Sul, todas são pólos imobiliários a menos de 100 quilômetros um do outro.

Sudeste lidera no tamanho do mercado e força da indústria

Motor econômico do Brasil, o Sudeste lidera também no segmento imobiliário, seja no número de cidades com ótimo nível de investimento em imóveis, seja nas inúmeras oportunidades e variedades de negócio possíveis. 

Regiões metropolitanas

Cidades localizadas no entorno das grandes capitais do Sudeste são cada vez mais destaque quando o assunto é investimento mobiliário. 

Betim e Contagem, na região de Belo Horizonte, Niterói e Duque de Caxias, vizinhas ao Rio, as cidades do ABC paulista, e Vila Velha, ao lado de Vitória, são ótimos exemplos.

A possibilidade de usufruir da infraestrutura das capitais, porém pagando menos pelo imóvel e desfrutando das vantagens de uma cidade de menor porte, são fatores que ajudam a explicar a tendência.

Força do interior

No superlativo Sudeste, cidades do interior podem ser maiores do que capitais de Estados de outras regiões. 

Uberlândia (MG), Juiz de Fora (MG), Ribeirão Preto (SP), Jundiaí (SP), Sorocaba (SP), Serra (ES) são destaques pelo crescimento e força do mercado imobiliário regional.

Centro-Oeste aparecendo no mapa do investimento imobiliário 

Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, é uma das melhores cidades do país para investir em imóveis. A cidade, assim como outras da região, é uma novidade imobiliária relativamente recente em termos nacionais.

Cidades em crescimento

A agroindústria é o carro-chefe de toda a Região Centro-Oeste, e essa riqueza tem trazido consigo uma evolução no mercado imobiliários de diversas cidades.

Entre elas podemos citar, além da própria Campo Grande, Cuiabá (MT), Aparecida de Goiânia (GO), Palmas (TO), e Anápolis (GO).

Nordeste ainda restrito às suas capitais

O investimento imobiliário no Nordeste ainda é predominantemente uma aposta nas capitais. Natal é um dos destaques nacionais do país. 

Além da capital potiguar, aparecem como boas opções de investimento, nos últimos cinco anos, Maceió (AL), João Pessoa (PB), Teresina (PI), Aracaju (SE) e, exceção à regra, Jaboatão dos Guararapes, na região metropolitana de Recife (PE).  

Casos isolados da Região Norte

Porto Velho, capital de Rondônia,  Macapá, capital do Amapá, e Ananindeua e Parauapebas, ambas no Pará, são os casos isolados de bom investimento imobiliário na Região Norte, segundo ranking da revista Exame.

Faturando ainda mais na melhor região do Brasil para investir

Encontrou a região e a cidade que mais atende às suas expectativas para investimento em imóveis? 

Pois então que tal saber mais sobre a possibilidade de investir em imóveis para locação por temporada?

Essa estratégia aumenta o retorno financeiro no uso do imóvel, sem tirar a possibilidade de o proprietário usufruir do bem quando houver interesse.

Fale conosco para maiores informações.

lucrar investindo em imóveis na crise

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *