Mitos e verdades sobre condomínios residenciais: vale a pena?

Mitos e verdades sobre condomínios residenciais: vale a pena?

Nas grandes metrópoles, onde morar em uma casa levanta importantes questões relativas à segurança pública, os condomínios fechados são principalmente procurados por quem busca uma espécie de ilha de tranquilidade na qual os riscos de invasão de propriedade, roubos e assaltos diminuem consideravelmente.

Muros altos, cerca elétricas, câmeras de monitoramento, vigilância 24 horas, acesso controlado, tudo isso passa grande sensação de segurança. 

Mas como é, de fato, viver em um empreendimento fechado, seja ele localizado numa grande metrópole seja em uma cidade menos populosa? Afinal, quais os mitos e verdades sobre os condomínios residenciais? Valem a pena?

É o que vamos descobrir neste artigo. Há questões interessantes que vão muito além do item “segurança”. 

Por exemplo, como fazer com animais domésticos? Muda alguma coisa? E a relação entre os moradores do condomínio, como se estabelece? Há regras que estipulam direitos e deveres próprios para os condôminos? 

Bom, fique com a gente até o fim do artigo para descobrir o que é mito e o que é verdade sobre os condomínios residenciais. Vamos lá? 

O que é um condomínio fechado

Antes de derrubar mitos e ratificar verdades sobre os condomínios fechados, vale a pena falar um pouco mais, para não meter os pés pelas mãos, sobre o que caracteriza um empreendimento residencial desse tipo. 

Tecnicamente, condomínios fechados são uma forma de desenvolvimento imobiliário na qual o acesso de pessoas e veículos é controlado e restrito. 

Também chamados de comunidades residenciais, eles têm em comum o fato de serem isolados de contato externo, com as questões de segurança privada e circulação restrita sendo suas principais características para a definição do conceito.

A presença de áreas comuns de convívio é outro ponto em comum, podendo incluir espaços verdes, quadras esportivas, piscinas, academia de ginástica, playground, ambiente gourmet, entre outras facilidades. 

Alguns condomínios residenciais fechados possuem infraestrutura tão complexa e ampla de serviços que os moradores podem viver quase que totalmente independentes e isolados do mundo externo.

Fator quase tão atrativo quanto a segurança, o espaço é outra vantagem dos condomínios fechados. 

Por menor que seja o empreendimento do tipo, a sensação de espaço é sempre maior do que na maioria dos bairros das cidades brasileiras, onde terrenos amplos e casas espaçosas são cada vez mais valorizados e difíceis de achar.

Mitos e verdades sobre condomínios residenciais: vale a pena?

Agora sim, vamos aos mitos e verdades, e é bem provável que você rapidamente se dê conta se vale a pena ou não morar em um condomínio residencial fechado.

Síndico é responsável por organizar as assembleias?

Verdade! Ele é uma espécie de gerente do condomínio, por isso a convocação e a organização cabem ao síndico, salvo em casos em que os moradores decidiram criar regras e procedimentos próprios para tanto.

As assembleias podem ser conduzidas pelo síndico ou por substitutos a depender da situação, desde que a pessoa encarregada excepcionalmente para a tarefa saiba conduzir a reunião dentro dos trâmites acordados pelo regulamento do condomínio.

Morar em condomínio fechado é caro? 

Mito! Apesar de o preço do imóvel geralmente ser maior do que o de uma propriedade do mesmo tamanho e padrão em um bairro residencial, os condomínios fechados podem ter taxas mensais iguais ou menores do que a de prédios antigos com poucos moradores.

Em relação a casas em bairros residenciais, também pode haver vantagem de manutenção a favor do empreendimento fechado, onde a limpeza de calçadas, por exemplo, faz parte do serviço bancado pela taxa de condomínio.   

Animais podem ser proibidos nos condomínios

Mito! É verdade que podem haver restrições — e quando elas existem isso costuma ser bem destacado nos anúncios de venda ou locação. 

Por outro lado, o entendimento da Justiça, com ampla jurisprudência favorável no país, é que animais de estimação não podem ser proibidos nos condomínios. 

Por outro lado, é comum condomínios fechados estipularem regras e critérios como tipo e porte permitidos para o animal doméstico. A mesma coisa em relação à circulação do pet. Piscinas de condomínio, por exemplo, são lugares onde animais domésticos não podem circular.

Oferecem menos lazer que uma casa de rua

Mito! Não é por acaso que condomínios fechados também são chamados de comunidades residenciais. 

Além de equipamentos de lazer como playgrounds, quadras e piscinas serem algo relativamente banal nesses empreendimentos, a rua volta a ser um lugar de convívio e brincadeiras como em outros tempos.

É possível economizar morando em condomínio?

Verdade! Basta calcular quanto você gastaria com mensalidades para atividades como musculação e natação. 

Além disso, condomínios costumam ter excelentes espaços para a realização de festas, encontros e pequenos eventos sociais.

Falta de privacidade

Mito! Não é porque o condomínio é uma área cercada e constantemente vigiada que a falta de privacidade passa a ser um problema. 

Na realidade, se assim fosse, os condomínios não atrairiam tanta gente com dinheiro e notoriedade.

Entre em contato

Quer saber mais sobre condomínios fechados nas cidades de Torres e Gramado? Entre em contato com a gente. Teremos o maior prazer em falar com você e lhe apresentar mais informações sobre esse modelo de empreendimento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *